Novo Peugeot 2008 entra a matar já em janeiro

É atualmente o segmento de mercado mais aguerrido e vai receber um contendor de peso! O novo Peugeot 2008 vai chegar ao mercado nacional em janeiro e pleno de argumentos para combater as grandes referências Renault Captur e Nissan Juke: visual totalmente novo, nova plataforma, mais espaço e grande oferta de equipamentos e motorizações… até com uma versão elétrica, embora essa apenas em abril!

O que salta de imediato à vista é o afastamento deste 2008 em relação ao 208, ao contrário do que sucedia na geração anterior. Agora, o 2008 é um SUV de “corpo inteiro”, visualmente a ir buscar muitas pistas ao 3008, nomeadamente as óticas dianteiras, a imagem agressiva, o desenho do tejadilho ou a barra negra que une as óticas posteriores.

O 2008 tem mais 6,5 cm entre eixos que o 208, apesar de usar a mesma plataforma CMP. Também as suas dimensões exteriores são bastante maiores que as do utilitário, ficando entre os maiores dos SUV compactos, com 4,3 m de comprimento, mais 16 cm que o modelo a que sucede. Isso reflete-se, por exemplo, no espaço que os passageiros de trás têm para pernas (embora a largura esteja muito no limite para três adultos viajarem com conforto) e na bagageira, com simpáticos 434 litros que podem atingir um máximo de 1467 litros.

Assumindo-se como SUV, e não como “carrinha alta” como o anterior 2008, a posição de condução é mais elevada, proporcionando boa visibilidade. O painel de instrumentos está, como é hábito nos Peugeot, elevado, ficando acima do volante de pequenas dimensões, opção nada consensual, mas com adeptos… como nós. O acesso a bordo é muito fácil e a qualidade percebida dos materiais deu um salto particularmente óbvio.

Está, obviamente, equipado com as mais recentes ajudas à condução, da manutenão na faixa, à travagem de emergência com reconhecimento de peões e ciclistas, controlo de tração Grip Control, “head-up display” ou cruise control com stop & go. A sua condução revelou-se extremamente agradável, em especial em termos de conforto, sublimado pela forma estável como a carroçaria se comporta nas curvas, sem que a maior altura se note numa maior inclinação.

A nível de motorizações, a grande novidade será (a exemplo do que sucedeu com o 208) o lançamento de uma versão elétrica, o e-2008, em simultâneo com as restantes. Tem um motor de 100 kW (136 cv) e com binário máximo de 300 Nm, mas pesa cerca de 350 kg mais que as versões com motores a combustão, devido à grande bateria de iões de lítio com 50 kWh de capacidade.

Permite-lhe uma autonomia de 370 km (310 km no ciclo WLTP), mas pode demorar até 17 horas para ser recarregada na totalidade numa tomada caseira… A melhor opção, pois, é uma “wallbox” de 7,4 kWh, em que esse carregamento se faz em 8 horas. No lançamento, a Peugeot oferecerá a montagem da “wallbox”!

Quanto aos motores convencionais, o Peugeot 2008 tem como entrada de gama a versão a gasolina 1.2 Pure Tech de 100 cv, por 21.500 €. Segue-se o mesmo motor mas com 130 cv, por 22.970 €. O Diesel começa no 1.5 BlueHDI de 100 cv, por 25.200 €, havendo ainda a variante de 130 cv, a partir de 30.350 €. O topo da gama 2008 (enquanto não se sabe o preço do e-2008…) tem o motor a gasolina 1.2 PureTech com 155 cv e caixa automática de oito velocidades, por 32.250 €. Todos estes podem ser encomendados desde já, para entregas em janeiro. O e-2008 apenas chegará em abril.

Fonte: Turbo

Partilhar nas Redes Sociais: