Taxa de poupança das famílias subiu para 12,8% no ano passado, máximos de 2002

As famílias portuguesas não poupavam tanto desde 2020. Por cada 100 euros de rendimento disponível, pouparam mais cinco euros no ano passado do que poupavam no final de 2019.

As famílias portuguesas pouparam 12,8 euros por cada 100 euros de rendimento disponível em 2020, quase mais cinco euros do que pouparam em 2019. É preciso recuar a 2002 para verificar uma taxa de poupança tão elevada entre os particulares, revelam esta sexta-feira os dados do Instituto Nacional de Estatística (INE).

A taxa de poupança das famílias aumentou para 12,8% do rendimento disponível no quarto trimestre do ano passado, mais 1,8 pontos percentuais (p.p.) do que no terceiro trimestre de 2020 e mais 5,7 p.p. do que no quarto trimestre de 2019. Em ano de pandemia, esta evolução resultou segundo o organismo de estatística do aumento do rendimento e da redução da despesa de consumo.

“Este resultado refletiu sobretudo a variação nominal de -5,0% do consumo privado em 2020, variação negativa sem precedente na série iniciada em 1995, visto que o rendimento disponível das famílias aumentou 1,0%, refletindo em parte as medidas de políticas públicas adotadas no contexto da pandemia”, refere o organismo de estatística.

De acordo com o INE, a capacidade de financiamento das famílias situou-se em 5,9% do PIB no quarto trimestre de 2020, mais 1,4 p.p. que no trimestre anterior, em consequência do aumento da poupança em 16,4%.

O INE assinala ainda que para a taxa de variação do rendimento disponível “as remunerações e as prestações sociais contribuíram em 0,4 e 0,3 p.p., respetivamente”.

Fonte: O Jornal Económico

Partilhar nas Redes Sociais: